Pró-Fígado

Clínica e Cirurgia das
Doenças Hepáticas

DOENÇA HEPÁTICA GRAVE?
Calcule aqui seu MELD



FIBROSCAN

Nova tecnologia para diagnóstico de fibrose hepática

Clinica

É possível (provável?) que o Fibroscan substitua a biópsia hepática, não somente no diagnóstico, mas no acompanhamento das hepatites crônicas em futuro próximo.
O uso do termo “cirrose” data da década de 1970, quando a OMS – Organização Mundial da Saúde definiu cirrose como sendo um processo difuso no fígado caracterizado por fibrose e regeneração nodular. Trata-se de uma definição basicamente morfológica.
Testes hematológicos e bioquímicos de rotina, ou mesmo testes específicos para fibrose, apesar dos bons resultados iniciais, ainda apresentam dificuldade na diferenciação dos graus iniciais de fibrose.
Exames convencionais de imagem, tais como ultrassom, tomografia e ressonância magnética não têm sensibilidade senão em fases avançadas da doença.
Agora há uma alternativa, já disponível também no Brasil. A ANVISA liberou a importação legal do Fibroscan *(Registro publicado no DOU Nº 190, 4 de outubro de 2010, página 83)*, equipamento validado pelo EMEI na Europa para avaliar o grau de fibrose hepática. Na realidade trata-se de equipamento de "elastografia transitória" que tem-se mostrado um procedimento não invasivo e preciso para a determinação de fibrose hepática (FABRICANTE e DISTRIBUIDOR: Echosens - FRANÇA).
O Fibroscan se parece com um aparelho de ultrassom, e é equipado com um probe que inclui um transdutor ultrassônico e um vibrador. A transmissão da vibração de baixa freqüência gera uma curva elástica que se propaga pelos tecidos, com posterior aquisição de ecos ultrassônicos, cuja velocidade é medida e expressa em kilopascais (KPa). Quanto mais endurecido estiver o tecido, mais rapidamente as ondas são propagadas. O exame é realizado no lobo direito do fígado entre dois espaços intercostais, com o paciente respirando normalmente, e tem duração de aproximadamente cinco minutos.
O Fibroscan já foi avaliado em diversas doenças hepáticas, e vários estudos observaram uma boa reprodutibilidade dos resultados, com concordância de 96% a 98% intra-observador e de 89% a 98% inter-observador.
A Pro-Fígado dispõe do Fibroscan desde abril de 2010, e experiência já ultrapassa 1000 (um mil) exames realizados.